Enquete

  01) Conheço o papel do juiz leigo e acho muito importante;

  02) Gostaria de ter mais informações sobre o assunto;

  03) Ainda não conheço.

Fechar
Enquetes anteriores

Poder Judiciário de Mato Grosso

Notícias

06.12.2018 13:26

TJ faz 1º mutirão de conciliação online
Compartilhe
Tamanho do texto:
O Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) do Fórum de Cuiabá, realiza até a próxima sexta-feira (dia 07 de dezembro), o mutirão de conciliação da Instituição de Ensino Charles Babbage denominada Uniorka. A ação tem o objetivo de proporcionar a regularização de débitos junto à instituição. Os atendimentos são feitos das 8h às 17h, no auditório do Fórum, com a opção pela primeira vez em Mato Grosso da negociação também ser online.
 
De acordo com a juíza que coordena o Cejusc de Cuiabá, Adair Julieta da Silva, o formato desse mutirão de mediação e conciliação, que oferece além do atendimento presencial ao consumidor, a opção dele negociar suas dívidas pela internet, é inédito aqui no Estado. “As 2.500 pessoas que estão inadimplentes e foram convocadas a comparecer no mutirão foram orientadas dessa opção via plataforma digital, onde elas têm a disposição um mediador online para fazer a negociação dos seus débitos. Esse formato é válido, assim com o presencial. Feito o acordo online, ele é homologado e vale como título judicial,” enfatiza a magistrada, lembrando que os benefícios com a conciliação são para todos: ganha o cliente, a empresa e também o Poder Judiciário.
 
A coordenadora do Cejusc destaca ainda, que são grandes os ganhos com a opção de negociação online, e que a ferramenta pode ser expandida para outros mutirões. ”As pessoas que não podem comparecer pessoalmente, têm a alternativa de onde estiverem poder acessar do tablete, celular ou do computador a plataforma e fazer a negociação. A partir de agora, os parceiros que tiverem interesse, e que acharem que a via será benéfica, com certeza nós assinaremos o termo de parceria para que o mutirão seja tanto presencial, quanto virtual, só vai depender da empresa ou instituição”, ressaltou a juíza Adair Julieta da Silva.
 
Para Meire Costa Marques, presidente da Amis – câmara de medição conciliação e arbitragem – que foi contratada pela Uniorka para o mutirão, a aceitação foi muito boa. Os clientes estão se sentindo mais tranquilos negociando pela internet. De segunda-feira (3 de dezembro) até ontem (5 de dezembro) foram feitos 40 acordos presenciais, e online foram atendidos 170 pessoas. É um desafio por ser o primeiro realizado em MT, mas tem sido satisfatório pela grande procura do consumidor, que vem e diz pelo chat ou vídeo conferência, que é muito bom ter essa opção, facilita o acesso e a negociação”.
 
A mediação online é meio bem dinâmico e prático. “O consumidor inicia fazendo o registro dos dados dele na plataforma, imediatamente a Câmara entra em contato. Se o consumidor estiver conectado o conciliador já começa a conversa, senão a empresa volta depois e busca o cliente no momento que ele estiver disponível ”, explicou Meire.
 
Segundo o mecânico industrial, Clarindo Souza Santos, o mutirão foi uma oportunidade de quitar sua dívida junto à instituição de ensino. “A negociação com a mediação foi muita boa, consegui um bom desconto e paguei a vista os débitos, que vinham sendo protelados desde 2014”, disse aliviado o mecânico.
 
Mutirões: O PJMT, por meio do Cejusc do Fórum de Cuiabá fez uma programação de mutirões, com a iniciativa pública e privada, que começaram em abril de 2018 e se encerram esta semana com o mutirão da Uniorka e da Unimed, que está sendo realizado na sede da empresa, na rua Barão de Melgaço, na Capital.
 
Cejusc: Desde a instituição da Resolução nº 125 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que trata das políticas públicas de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário, o TJMT vem fortalecendo ainda mais as práticas de conciliação e a mediação, principalmente com a instalação de Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs), salientam a presidente do Numepec e NugJur, desembargadora Clarice Claudino da Silva e o juiz Hildebrando da Costa Marques, que é coordenador do Nupemec. Em Mato Grosso, já estão instalados 43 Cejuscs.
 
Leia ainda:
Mutirão promove conciliação em contratos da MRV
 
 
Mutirão Fiscal é prorrogado e tem novos locais
 
 
 
Cleci Pavlack
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
(65) 3617-3393/3394/3409