Enquete

  01) Conheço

  02) Gostaria de conhecer

  03) Nao conheço

Fechar
Enquetes anteriores

Poder Judiciário de Mato Grosso

Notícias

11.10.2012 16:46

Lar recebe atendimento da Justiça Comunitária
Compartilhe
Tamanho do texto:

 

 

 
No sábado (18 de agosto), o programa Justiça Comunitária do Tribunal de Justiça de Mato Grosso esteve presente na comunidade terapêutica Lar Cristão, no bairro CPA III, em Cuiabá, que recebeu pela primeira vez o mutirão com o atendimento dos agentes comunitários da Justiça e Cidadania. Participaram da iniciativa 100 internos (60 homens e 40 mulheres), que tiveram a oportunidade de assistir a palestras com orientações sobre seus direitos, proferidas pela coordenadora da Justiça Comunitária, juíza Ana Cristina Silva Mendes, e pelo major da Polícia Militar Zacarias Vitalino.
 
 
 
 
De acordo com a juíza Ana Cristina Silva Mendes, a necessidade dos internos e o trabalho da Justiça Comunitária, pautado primordialmente na prestação de serviços, justificaram o atendimento in loco. “O trabalho da Justiça Comunitária é promover a cidadania e também a cultura de pacificação. Por intermédio do Poder Judiciário e das instituições parceiras, participamos ativamente de ações como essa para realizar mais atendimentos e evitar demandas ao Judiciário”, salientou a magistrada.  
  
Irma Benedita Pereira Barbosa de Souza, diretora do Lar Cristão (Unidade Feminina), esposa do pastor Teodorico Barbosa, responsável pela unidade masculina, que  representou os diretores das unidades de Cuiabá e Várzea  Grande, disse que a maioria dos internos não tem carteira de identidade, título de eleitor, carteira de trabalho, entre outros documentos. “Os internos chegam em um estado difícil, sem documentos e com poucas roupas, e como conhecemos o trabalho da Justiça Comunitária, pedimos que o atendimento fosse feito em uma das nossas casas”, salientou a diretora, que agradeceu a parceria e o apoio que recebeu da Justiça Estadual.
 
   
O major da PM Zacarias Vitalino, representando o Comando do 10º  Batalhão da Polícia Militar de Mato Grosso, disse que a parceria com o Lar Cristão é feita por meio de palestras informativas, educativas e de orientação todas as sextas-feiras em uma das unidades. “A necessidade dos internos, o desejo de ajudar e a Justiça Comunitária com a prestação de serviços representam a garantia de sucesso em nosso trabalho”.
 
           Márcia Rocha, consultora de dependentes químicos do Lar Cristão, que solicitou os serviços à Justiça Estadual, agradeceu as ações voluntárias desenvolvidas no Lar Cristão com os dependentes químicos. Ela acredita que haverá mudanças sociais e emocionais decorrentes do atendimento individualizado feito pela equipe da Justiça Comunitária com informações aos internos.
 
 
Dependente química há 16 anos, Stella Amaral, 35 anos, é de Brasília e não tem nenhum documento. Mora há dois meses no Lar Cristão e busca a confecção de seus documentos e a orientação para ganhar a guarda de seu filho de quatro meses. “Este atendimento foi inesperado. Não tinha mais esperanças de ver meu filho por estar sem documentação. O atendimento mudou minha visão em relação à justiça, tenho esperança e muita confiança, o que é essencial no meu caso. E com certeza apoio necessário para não me drogar mais”, ressaltou a interna, que, emocionada, agradeceu a oportunidade.
  
Lorena Pereira, agente comunitária há dois anos, fez a sua primeira participação em um mutirão e afirmou estar satisfeita de fazer os atendimentos aos internos. “É muito importante informar que problemas há muito tempo sem solução podem ser resolvidos sem processos. Mostramos o caminho e o direito de cada uma das pessoas que se sentiam fora da sociedade”.
 
   
Participaram do mutirão os servidores da Justiça Comunitária Luiz Alves, Sônia Amaral e Neury Côrtes, e os agentes comunitários Ester de Morais, Romilda Julia, Ediberta Benedita Silva, Sueli Pereira, Eliana Maria da Silva Jales e Lorena Pereira.