Enquete

  01) Conheço

  02) Conheço e já estou utilizando

  03) Gostaria de obter mais informações

Fechar
Enquetes anteriores

Poder Judiciário de Mato Grosso

Notícias

16.12.2014 08:40

Fórum de Cuiabá ganha Arquivo Geral
Compartilhe
Tamanho do texto:
 
Com capacidade para armazenar 78.792 caixas de arquivo, o Fórum de Cuiabá conta agora com um moderno Arquivo
 Geral. O espaço, localizado no subsolo do prédio, começa a funcionar 58.509 caixas, sendo 40.320 de processos na área cível e 13.776 na área criminal. A área meio (documentos) ocupa hoje 4.403 caixas do arquivo.
 
Além disso, o setor foi modernizado com a instalação das prateleiras deslizantes, o que proporciona mais segurança no trabalho, celeridade ao arquivamento e desarquivamento dos processos judiciais, facilidade no manuseio e redução de área, se comparado aos arquivos tradicionais.
 
O presidente do TJMT, Orlando de Almeida Perri, que inaugurou o novo espaço na sexta-feira (12 de dezembro) afirma que as estantes deslizantes também são responsáveis por trazer mais organização ao arquivo. “Todas as varas têm suas estantes próprias, então facilita muito as buscas por processos por parte dos advogados, que sempre pedem o desarquivamento”, comenta.
 
O magistrado reforça que uma das maiores preocupações do Poder Judiciário é com os arquivos. Lembra que, ao visitar as comarcas do interior, percebeu que os fóruns estão abarrotados de processos tendo, muitas vezes, que utilizar o próprio cartório da vara como arquivo.
 
Outra situação detectada por Perri é que muitas comarcas têm seus arquivos fora das dependências do fórum, o que acarreta em custos para o Poder Judiciário, já que diversos imóveis tiveram que ser alugados para suprir a demanda. Por isso, a administração trabalha em um projeto que prevê a construção de um arquivo central em Cuiabá com a finalidade de reduzir custos, digitalizar os documentos e aplicar a tabela de temporalidade. A expectativa é que a próxima gestão dê continuidade à iniciativa.
 
A gestora do Arquivo Geral, Márcia Caldas, lembra que antes os armários eram de aço e mais frágeis. “Além do trabalho, tínhamos que nos preocupar com a forma de trabalhar, ou seja, com a nossa segurança. As prateleiras deslizantes foram à solução para garantir mais segurança e agilidade, em termos de ampliação do espaço e modernização do trabalho”, observa.
 
Camila Cecílio
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
imprensa@tjmt.jus.br
(65) 3617-3393/3394